Hemopa supera número de voluntários à doação em novembro

Mais de 11 mil pessoas compareceram à uma unidade da hemorrede estadual no mês passado

Por Agência Pará

Depois de precisar de sangue após uma cirurgia, a professora Patrícia Silva se tornou uma mobilizadora da causa da doação no Pará. Para ela, o ato de doar significa esperança de dias melhores.

“Na minha cesariana, tive uma hemorragia e precisei fazer outra cirurgia, foi quando precisei de reposição de sangue. Na época, o Hemopa estava com estoque baixo e eu não pude receber a quantidade de bolsas suficientes. Continuei internada. Isso reforçou a importância da doação para mim. É tão simples e a quantidade retirada não vai fazer falta para quem doa, mas vai faz toda a diferença na vida de muitos”, enfatizou a professora.

A Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia do Pará (Hemopa) tem motivos de sobra para agradecer a dedicação de Patrícia e de todos os mais de 11 mil cidadãos que compareceram a uma unidade da hemorrede estadual em novembro deste ano, com o intuito de doar sangue e salvar vidas. Comparando com o mesmo período de 2018, foram mais 432 voluntários que se sensibilizaram com a causa.

O resultado desta corrente do bem foi a coleta de quase 10 mil bolsas de sangue ao longo do mês de novembro, que já beneficiaram e ainda vão beneficiar pacientes internados na rede hospitalar pública e privada do Pará. Uma bolsa de sangue pode salvar até quatro pacientes adultos e oito infantis.

Foto: Ascom | Hemopa

Sem esconder a satisfação com o número recorde de pessoas sensibilizadas para doação de sangue, o presidente da Fundação Hemopa, Paulo Bezerra, parabeniza a sociedade paraense. “A nossa missão não é fácil, mas todos os dias contamos com uma equipe dedicada e comprometida em aumentar a nossa rede de generosidade. Só posso agradecer o empenho dos que contribuem, diretamente e indiretamente, para manter os estoques abastecidos e, assim, cumprirmos com a atividade transfusional plena na rede hospitalar do Estado”.

Doação – Para ser doador de sangue, o cidadão precisa ter entre 16 e 69 anos (menores de idade devem estar acompanhados do responsável legal), ter mais de 50 kg, estar bem de saúde e apresentar um documento de identificação oficial, original, com foto (RG, CNH, Passaporte ou Carteira de Trabalho).